Follow by Email

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Perfeição


Um fruto cai no silêncio da noite
O barulho da queda faz parte desse silêncio
Sazonado à plenitude
Não resiste à atração da terra
E rompe
Entre muitos que permanecem
Ele cai
Todo glória e perfeição
No seu surdo encontro com o chão
Chama para si o universo
Está acabada a obra
E nada foi perturbado

(nov/1994)

Nenhum comentário:

Postar um comentário